O que há de novo na fronteira

Enquanto o mundo da infra-estrutura em computação caminha para a virtualização, caminhamos para a fragmentação da nossa identidade na rede, armazenada em partes nas nuvens do Google, da Apple, do Face. Somos o que somos, mas eh preciso que estejamos sempre a caminho de ser uma outra coisa. Queremos desesperadamente colocar nossa singularidade em evidencia através de mil posts. Como podemos realmente provar aos outros que estamos nos divertindo nessa vida, se nao for pelo insta?

Marx, em mais um dia de mau humor com o capitalismo nascente, em meados do seculo XIX ja’ nos espetava : hoje em dia, tudo o que era solido desmancha no ar (premonição aplicável inclusive `a economia do Brasil). Mas fazer o que para se alienar desse novo mundo online demais, com suas mil novidades descartaveis (ou nao)… ir morar no mato, na Coreia do Norte, virar hippie em Sao Tome’, budista no interior de SP,  professor de sociologia na USP ?

Esse blog eh apenas mais um conjunto de cronicas e comentários descompromissados sobre temas da tecnologia e da industria cultural, como startups e rupturas tecnológicas, livros sobre heróis do rock dos anos 70 e 80, novidades indie, filmes obscuros do cinema independente, etc etc…

Busca inspirar-se na irreverencia dos milhares de criativos anônimos que resistem `a chatice geral, criando memes de whatsapp como forma de resistência ao nosso noticiário politico-econômico depressivo e quem sabe tornando a 2a feira um dia mais curto.

Have fun.

Anúncios